sábado, 26 de maio de 2012

"Laços de afeto", por Wanderlino Teixeira Leite Netto


Não será preciso esperar tanto a ponto de se esquecer na espera: Café pingado, mais novo livro de Wanderlino Teixeira Leite Netto, será lançado em junho próximo.
Enquanto aguardamos para bebericar em sua poesia, que tal um pouco da prosa do autor?





Laços de afeto



 Mudavam-se à revelia. Por vontade própria, Aurélio e Mercedes permaneceriam no velho apartamento. Mas, aos oitenta, os desejos trocam de dono. Os filhos haviam decidido tê-los por perto, assim seria. Impotentes, presenciam a profanação de seus guardados. Os filhos, o genro, a nora, os netos, remexem armários e gavetas. Urge selecionar o que os homens da transportadora irão embalar e eles não tardam.
Mercedes vê os sacos de retalhos dos mais variados tecidos serem postos de lado. Aurélio não entende o descarte dos papéis de embrulhar pão, dos pedaços de barbante, das bulas, das caixas e dos vidros de remédios vazios. Afinal, estavam todos meticulosamente arrumados...
Miçangas e paetês espalham-se pelo chão, assim como pedaços de isopor, purpurina, velas de aniversários e enfeites de Natal.
Do bojo de um armário, saem sapatos fora de moda, bolsas dos mais diferentes feitios e tamanhos, alguns chapéus, todos vetados por uma comissão de netos.
Enquanto o genro amontoa junto à lixeira jornais amarelecidos, a filha descarta bibelôs. Os álbuns de retratos sofrem verdadeira pilhagem, cada um abocanha um naco do passado. Quando chega o pessoal da transportadora, tudo está definido.
Aurélio e Mercedes entreolham-se. A cumplicidade de mais de meio século é suficiente para indicar-lhes o que fazer. De uma pasta de couro, já um tanto desbotada, retiram os documentos. Com tesouras de ponta fina, em silêncio, picotam as cédulas de identidade.

 
(NETTO, Wanderlino Teixeira Leite. Laços de afeto. In: Retrato sem moldura. Niterói: Clube de Literatura Cromos, 1999).




Divilgação cultural
(clique na imagem para ampliar)





12 comentários:

  1. WTLN,
    Parabéns pelo belo texto.
    Uma nota: este livro (Retrato sem moldura) encontra-se à venda no projeto "Escritores ao ar Livro", o qual o autor acima é um dos integrantes. Sempre aos domingos, na Pça Getúlio Vargas, em Icaraí, das 10 às 13 h.
    Dia 17 de junho estaremos comemorando 4 Anos (22-6-2008/22-6-2012). Apareçam para um brinde!
    P.R.Cecchetti

    ResponderExcluir
  2. Eu tenho o livro! Sou fã assumida do Wanderlino. Como já disse, WTLN é um de nossos melhores autores. De Niterói? Não. Claro que do Brasil! Um excelente final de semana .
    Abs
    Belvedere

    ResponderExcluir
  3. Imagético, real, poeticamente dorido. Um belo texto. É um Wanderlino.
    Carlos Rosa Moreira.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carlos Rosa, aguardando seu novo livro, ok?
      Bjs
      Belvedere

      Excluir
  4. José Eustáquuio Cardoso26 de maio de 2012 11:57

    Verdadeiro e emocionante poema em prosa. Os irregulares quadrículos resultantes de identidades picotadas seriam o pó antes do pó?

    José Eustáquio Cardoso

    ResponderExcluir
  5. Dalma Nascimento26 de maio de 2012 12:18

    Wanderlino, dolorosamente emocionante seu texto! Na concisão, visualizamos a cena. Golpeada de verdade. Em exíguas linhas, você pingou ternura e humanidade.

    Grande Wanderlino!

    Agradeço a informação do Cecchetti. Irei procurar Retratos sem moldura (aliás, que título!), no "Escritores ao Ar Livro".

    Roberto, mais uma vez você estabelece criativos vínculos. "Laços de afeto" e de cultura, que se vão espalhando, em fértil intercâmbio, por seu Blog!

    Dalma .

    ResponderExcluir
  6. Com todo respeito ao escritor, o ponto alto da postagem de hoje é o clip com a música do Feist.

    Rosaly Lima

    ResponderExcluir
  7. Caro administrador do site Literatura-Vivência, registro aqui meu contentamento em ter sempre atualizadamente as matérias de seu site.

    Em sábados e domingos solitários, é um alento poder ler a melhor literatura, ver a melhor arte e ouvir belas músicas neste seu espaço.

    Literatura-Vivência é um elugar de excelência que valorizo sinceramente!

    Arno Guinle

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E vc sempre amável, Arno. Grato por sua presença que enriquece o espaço.
      Marcelo LOpes

      Excluir
  8. Boa tarde, nobilíssimo Roberto.

    Agradeço pelos e-mail's com mensagens úteis.

    "Deus habita dentro de você!
    Com os nossos pensamentos e palavras,
    construimos o verdadeiro mundo em que vivemos."

    Votos de um feliz final de semana, extensivo à família.

    Um aperto de mão,
    Alberto Slomp.

    ResponderExcluir
  9. Ricardo A. S. dos Anjos26 de maio de 2012 13:02

    O que está havendo com o Wanderlino?
    Antigamente ele angariava mais audiência! Numa matéria mais antiga falando de "Arlete" ele fez milhões de visitas em pouco tempo.
    Por que a falta de entusiasmo dos leitores?

    ResponderExcluir
  10. Caro Roberto,
    Belo presente,para uma tarde de sábado.
    Wanderlino desencaixotou minhas lembranças de tempos felizes, que residi em Niterói na companhia de pessoas como ele,tão sensíveis e especiais.
    Walnize Carvalho (Campos dos Goitacazes0

    ResponderExcluir