quarta-feira, 12 de outubro de 2011

O brilho do poeta Cândido Portinari.


Cândido Portinari

Sabe-se que a casa de Cândido Portinari vivia cheia. Eram os amigos e os amigos dos amigos que entravam e saíam numa espécie de frenesi. Tal entusiasmo comprazia ao próprio pintor que tinha sempre em sua volta nomes como o de Carlos Drummond de Andrade, Heitor Villa Lobos e Manuel Bandeira. Conta-se que, certa vez, após um almoço, um semi-desconhecido levantou-se da mesa, pediu a palavra, e fez um discurso pirotécnico em honra de Portinari; após, abalou pela porta se lançando no interior do primeiro taxi que passava.
Recobrados do repente, um dos convidados perguntou a Cândido Portinari o que ele teria achado daquela fala; Portinari, com a simplicidade e graça de um camponês de Brodowski, disse: “ – Pois é... pintor pinta, literato brilha.”
A anedota, de um lado, joga luz sobre a face humilde e humana do pintor; por outro, oculta ainda mais um traço quase desconhecido do artista. Qual seja? O fato de Portinari também ser literato.
Sim! Poucos sabem disso, mas o autor de obras primas como Menina sentadaFlautista e Sapateiro de Brodowski também era poeta publicado.
Portinari sempre escreveu e, de vez em quando, submetia seus “escritos” a colegas como Manoel Bandeira e Antônio Callado. Sem nenhum favor a Portinari, ambos escrevem aparatos críticos para um livro intitulado Poemas; ambos elogiaram aqueles versos como possuidores de qualidades estéticas apreciáveis. Portinari, por sua vez, não se valeu de sua reputação de artista plástico para promover sua poesia, muito pelo contrário, preferiu fazer um livro sem ilustrações, não dando vez à autoridade de sua pintura (como conta Callado); o valor daquela poesia ainda é reforçado por Bandeira, quando avalia: “Ainda que Portinari não tivesse sido o grande pintor que foi, toda esta poesia seria válida pelo que ela encerra de aguda e generosa sensibilidade, de registro fiel da vida brasileira no interior.”(p.23)

Em conversa, João Cândido Portinari (à frente do Projeto Portinari) revelou-me que pretende publicar em 2012 – por ocasião do cinquentenário de morte de Cândido Portinari – uma segunda edição de Poemas. Enquanto a edição comemorativa do livro não sai, conheçamos um pouco do Portinari poeta:


PORTINARI, Cândido. Espantalho. 1940.
Óleo sobre tela, 73 x 60 cm. Rio de Janeiro, RJ.


“Sem cílios e sem destino
No ar sem proteção
Espantalho de beira-córrego, os pássaros
Pequenos não se intimidam... Passam.

Aos grandes arrozais. Invisível quase
Flutuando no espaço
Vagando ao léu. Esfiapando e desfeito
Um trapo cuspido

No lodo. Enxugando a lama, será no
Clarear da aurora?
Se tivesse ainda meu canivetinho
De cabo de madrepérola me
Recordaria de tudo daquele tempo.
Veio de presente numa caixa de vinho.

Do Porto. Não dão mais. Era
Um pouco de felicidade embrulhada
Entre garrafas.

Depois tive muitos canivetes
De verdade: apenas cortavam...
O meu vivia: gostava de admirá-lo
Conversávamos durante horas e horas

Onde estará? Transformara-se?
Seria a estrela aqui perto do
Mar? Ou o foguete que foi à lua?
Meu canivetinho, meu canivetinho...”

(PORTINARI, Cândido. Aparições.
In: Poemas. Rio de Janeiro: José Olympio, 1964. p.66).



PORTINARI, Cândido. Menina sentada. 1943.
Óleo sobre tela, 74c x 60 cm. Rio de Janeiro, RJ.


 PORTINARI, Cândido. Colona sentada. 1935.
Têmpera sobre tela, 97 x 130cm. Rio de Janeiro, RJ.


PORTINARI, Cândido. Flautista. 1934.
Óleo sobre madeira, 46 x 37.5cm. Rio de Janeiro, RJ


PORTINARI, Cândido. Flautista. 1941.
Têmpera sobre tela, 187 x 177cm. Brodowski, SP




Portinari no Dia das crianças:



Divulgação Cultural
(Clique na imagem para ver a animação)




36 comentários:

  1. Prezado Roberto Kahlmeyer

    Parabéns pela trajetória e trabalho cultural!
    Excelente blog e textos.
    Sucesso.
    Fraternalmente
    Andreia Aparecida Silva Donadon Leal - Deia Leal

    Diretora de Projetos do Jornal Aldrava Cultural
    Governadora do Instituto Brasileiro de Culturas Internacionais-Minas Gerais
    Presidente Fundadora da ALB-Mariana
    Mestranda em Literatura-Cultura e Sociedade pela Universidade Federal de Viçosa

    ResponderExcluir
  2. Caro Kahlmeyer!

    Não sabia o Portinari como poeta!
    Pelo que me mostrou lembra um pouco a poesia do Bandeira, talvez pela proximidade!

    O Blog está de parabéns. Seu trabalho, Roberto, merece todo o nosso respeito.

    Lori

    ResponderExcluir
  3. Um espetáculo, Roberto!

    Passar um feriado com a arte de Portinari é vivificante!

    Seu blog é um veículo de alto nível!

    Parabéns
    Mauro Maia

    ResponderExcluir
  4. Rico, rico, rico!

    Parabéns ao Literatura-Vivência pelo trabalho de divulgação e valorização de nossos mais importantes bens culturais!

    Portinari é o presente de quem nesse dias das crianças sabe apreciar o que é grande e singelo, ao mesmo tempo!

    Parabéns ao administrador do Blog!

    Wanda Salis

    ResponderExcluir
  5. A briga comprada em favor do Pimentel, o discurso de pêsames ao querido Edmo Lutterbach; e ainda: Israel Pedrosa, Miguel Coelho, Fayga Ostrower, Cândido Portinari...

    Você merece uma medalha de ouro, Kahlmeyer.

    Abraços,
    Felisberto

    ResponderExcluir
  6. Sônia Lobo (Pedagoga)12 de outubro de 2011 10:19

    Caro Kahlmeyer,

    Portinari deveria ser conteúdo ensinado nas escolas perpassando todo o currículo. História, ciências sociais, Matemática e até literatura deveria ter Portinari como provocação.

    Seu Blog tem compartilhado conosco uma importante bagagem cultural. Literatura-Vivência tem sido muito generoso com Niterói.

    Agradecemos!
    Sônia Lobo

    ResponderExcluir
  7. Que bom conhecer um pouco do Portinari. Mais uma vez obrigada por seu empenho, sua generosidade e seu talento, Roberto.
    Abs
    Belvedere

    ResponderExcluir
  8. um blog bem escrito, erudito, de bom gosto e que nos mostra o que temos de melhor. Portinari foi o maior de todos os brasileiros.

    Kahlmeyer, ainda hei de ver você secretário de cultura desta vetusta Niterói.

    Furlan

    ResponderExcluir
  9. Maximiano de Carvalho e Silva12 de outubro de 2011 10:50

    Portinari deve ser sempre lembrado.

    Como nesta reportagem que nos envia com tão boas reproduções de alguns de seus quadros o nosso amigo Roberto Kahlmeyer-Mertens.

    Maximiano

    ResponderExcluir
  10. OI ROBERTO,

    ME CHAMO SUELEM E TENHO 8 ANOS. GOSTEI MUITO DE SEU BLOG. ACHEI MUITO BONITAS AS ARTES DE PORTINARI. GOSTEI DA HISTÓRIA DA MENINA E DO ESPANTALHO. FIQUEI EMOCIONADA.
    MINHA MÃE, MARTHA, LÊ SEMPRE SUAS COISAS. VOU LER TAMBÉM.

    UM BEIJO
    SUELEM

    ResponderExcluir
  11. Portinari não me pareceu um poeta de gênio, mas ao menos não é piegas!
    Como pinto ele é irretocável! O mestre entre os mestres!
    O conjunto vale a postagem que tanto nos alegrou.

    Abraços
    Alípio Mendonça

    ResponderExcluir
  12. Kahlmeyer,

    Isso não é uma mera postagem! É um banho fresco de sentido!
    Nos sentimos mais humanos depois de ler, ver e sentir Portinari!

    Obrigado Portinari, Obrigado Literatura-Vivência!

    ResponderExcluir
  13. Poema, pintura, vivência!
    Portinari, Portinari, Portinari!!!

    O que mais dizer?
    Obrigado por toda esta riqueza!

    ResponderExcluir
  14. Bola dentro, Roberto!

    Melhor que isso, só mesmo feito pelo próprio Portinari.

    Sua erudição literária, não raro, nos leva para lugares inusitados!

    Abraços,
    Marcio

    ResponderExcluir
  15. Especial, Roberto. Especial...

    ResponderExcluir
  16. Portinari não é poeta nem pintor, é uma força da natureza!

    ResponderExcluir
  17. Prof. Kahlmeyer,

    Parabéns pelo blog.
    Que sensibilidade.

    Atingiu uma faixa de navegadores ansiosos pela boa cultura: as crianças.
    Elas terão a oportunidade através de A menina, o Espantalho e o Curupira, conhecer um dos ícones brasileiros das Artes Plásticas,

    Portinari.
    Edel

    ResponderExcluir
  18. Um blog "descolado", educativo, interessante, elegante com postagens de qualidade sem bobagens.

    Continue assim, Roberto.

    Feliz dia das crianças para o público mirim do Blog. Assistam ao curta inspirado em Portinari.

    Orlando

    ResponderExcluir
  19. Portinari Poeta!
    Novidade para mim!

    Olga

    ResponderExcluir
  20. Valeu Roberto!

    Estive lá no site do projeto Portinari.
    Que trabalho bonito eles têm.

    Abraços,
    Amauri Dolbach

    ResponderExcluir
  21. Roberto,

    Seu Blog é lugar de inteligência e memória.
    Literatura-Vivência faz acontecer!

    Camilo

    ResponderExcluir
  22. Caro Roberto Kahlmeyer,

    É preciso congratular-lhe pela bela atuação na frente do Literatura Vivência. Sim! Concordo com o colega acima que diz que vc deveria ser secretário de cultura de nossa cidade.

    É um prodígio o seu trabalho pela nossa cultura.

    Tomara que reconheçam este seu empenho, aliás, incansável! Continue nos brindando com belas postagens!

    Abraços
    Glória Galvão

    ResponderExcluir
  23. Cristiane Fagundes12 de outubro de 2011 22:02

    Caro Roberto,

    Venho acompanhando seu trabalho. Gostaria que me concedesse um encontro pessoal para que lhe pudesse falar sobre uns projetos culturais que tenho. Creio que sua experiência e influência nos meios culturais me ajudaria bastante. Me indique, por favor, seu email para que possamos marcar um almoço.

    Adorei a matéria sobre o Portinari. Mostre-nos mais coisas dele, por favor.

    Abraços
    Cristiane Fagundes

    ResponderExcluir
  24. Maria Emíllia Feio (Lisboa - Portugal)12 de outubro de 2011 22:18

    Também nós de Portugal apreciamos o valor do pintor Cândido Portinari. Sua poesia dignifica a língua que compartilhamos. Contente por contar com um sítio como este, passarei a direção para colegas interessados.

    ResponderExcluir
  25. Seu blog transpira/inspira sucesso.
    Agora que eu o achei, não o perferei de vista.
    Portinari forever!

    LG

    ResponderExcluir
  26. Roberto,

    Pode parecer besteira o que eu vou falar, mas toda vez que vejo sua chamada para o blog em minha caixa de mensagens meu coração dispara. Isso se deve pois eu seu que vem algo de muito bom pela frente!
    O blog, com suas matérias, vem nos descolar da obtusidade que o nosso dia a dia nos impõe. É um local de enlevo.
    E as músicas!? Cada uma melhor que a outra. Você já experimentou ouvir todas na sequência? Faça isso.

    Adorei, vibrei com o Portinari poeta! já encomendei o livro pela Estante Virtual. Tomara, sim, que o Projeto Portinari publique uma segunda edição. Eles até podiam fazer uma edição com pareceres de críticos de literatura, como é costume.

    Roberto, continue a nos brindar com as belas matérias do Literatura-Vivência.

    ResponderExcluir
  27. Poreeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeta, Roberto!

    ResponderExcluir
  28. Branca Eloysa Pedreira Ferreira13 de outubro de 2011 10:27

    Roberto, onde anda você?
    Sinto falta (muita) de seu blog e sua maneira
    de ser.
    Não desapareça. V
    ocê é fundamental para estimular nossa vontade de pensar. Acredite nesta velha amiga.
    Branca Eloysa

    ResponderExcluir
  29. Aécio Alves da Costa13 de outubro de 2011 11:05

    Prezado confrade Roberto,

    Parabéns pelo seu blog. Vc revela um fato importantíssimo: Portinari poeta! Será q os jovens estudantes das Faculdades de Letras sabem disso? Creio q nem os seus professores.
    Forte abraço,
    Aécio Alves da Costa

    da Academia Friburguense de Letras.

    ResponderExcluir
  30. Prezados leitores de Literatura-Vivência.

    Tenho o prazer de comunicar que a postagem “O brilho do poeta Cândido Portinari” acaba de completar 500 acessos/visitas num espaço de tempo de pouco mais de 24h.
    Tal fato, só confirma o vigor que a obra de Portinari possui, despertando nas pessoas admiração e interesse.
    Obrigado pela frequência de vocês.

    Cordialmente,
    Roberto S. Kahlmeyer-Mertens

    ResponderExcluir
  31. Bonito!

    No dia das crianças, o artigo sobre a poesia de Portinari atingtiu em cheio o coração das crianças (e de quem temn coração de criança, como eu).

    Parabéns pelo Blog, Kahlmeyer.

    Arlindo Medeiros (poeta)

    ResponderExcluir
  32. Claudio Bittencourt13 de outubro de 2011 14:40

    O veículo é invejável, Kahlmeyer. Deveras!

    Cordialmente,
    Claudio Bittencourt

    ResponderExcluir
  33. Kahlmeyer,

    Literatura-Vivência é o melhor!

    Lila

    ResponderExcluir
  34. A forma é boa, o conteúdo é melhor, a eficiência um capítulo à parte. Literatura-Vivência e Portinari, tudo a ver.

    Parabéns ao blogueiro.
    Aderlan.

    ResponderExcluir
  35. CARO ROBERTO KAHLMEYER,
    POR FAVOR NOS APRESENTE UM POUCO MAIS DE PORTINARI.
    OBRIGADO,
    LAURIANE

    ResponderExcluir
  36. Roberto,

    Faça outra matéria sobre Portinari, por favor.

    Marcos

    ResponderExcluir