domingo, 9 de outubro de 2011

A arte, as intuições e o belo pelas mãos de Fayga Ostrower.




Assisti a dois cursos oferecidos por Fayga Ostrower no Centro Cultural Paschoal Carlos Magno entre os anos de 1995-96. Vim reencontrar Fayga no YouTube falando de criação e beleza. Feliz reencontro:

OSTROWER, Fayga. Oceano II. Gravura. 1999.


OSTROWER, Fayga. Folhagens. Gravura. 1999.




OSTROWER, Fayga. Abstrato. Litografia. 1990. 62 x 90 cm 


 OSTROWER, Fayga. Abstrato. xilogravura. s/ papel japonês. 60 x 91 cm 


OSTROWER, Fayga. Terra. Gravura em Metal. 1993.






Para saber mais:




5 comentários:

  1. Carlos Rosa Moreira11 de outubro de 2011 15:53

    Fayga... Nome bonito, mulher bonita, inteligente e sábia. Que prazer apreciar seus trabalhos! Grande artista. Belas imagens. Parabéns, Roberto, elegância e bom gosto a mancheias à farta.
    Um abraço.
    Carlos

    ResponderExcluir
  2. RAQUEL MARIA CARVALHO NAVEIRA11 de outubro de 2011 15:54

    Prezado Roberto,

    Agradeço o encio da "Literatura Vivência".
    Bom ter conhecido a artista Fayga Ostrower que acredita no conhecimento intuitivo.
    Lindos os seus quadros.
    Gostaria que conhecesse o trabalho de meu filho, Guto Naveira, www.gutonaveira.blogspot.com.br
    Tenho uma veia fluminense.
    Meus avós paternos eram de Macaé: Amílcar Pereira da Silva e Iracema.
    Daí sonhar sempre com areias e gaivotas.
    Abraço fraterno,
    Raquel

    PS: Segue texto em anexo

    ResponderExcluir
  3. Fayga Ostrower, a Arte!

    ResponderExcluir
  4. Roberto, Pra mim, a beleza anda junto com a simplicidade, que já se mostra na maneira de alguém se apresentar,de alguém falar, de uma forma tal que a timidez que possa ter a pessoa,ela se espanta e deixa fluir e transbordar idéias, conceitos, palavras que encantam a todos. Se eu visse a Fayga quietinha, calada , e desconhecendo sua obra como desconheço, sua grandeza interior,eu pensaria que poderia tratar-se de uma daquelas senhorinhas que , aposentada, se dedicasse a fazer crochê ou tricô, dormitando durante muitas horas do dia e da vida, num canto de sala. Mas com seu discurso, que não pretende alçar grandes vôos, esta artista se agiganta ao comparar, por exemplo, na obra artística,imaginação com intuição, racionalidade , sensualidade, presente em tudo que nos rodeia,e quando explica que para o artista o importante, o que o influencia, é o todo que está à sua volta e que forma , em geral, um conjunto harmonioso que forma o belo. A perspectiva não permite isso, por sua imobilidade. Encantei-me com a Fayga que até causou-me ternura. Bom você nos trazer depoimentos como o dela.
    Abraços
    Nicoleta

    ResponderExcluir
  5. Roberto,

    Seu blog complata nossa existência. Você é mensageiro da riqueza de nossas vidas comesinhas.
    O que dizer da Fayga!?! Literatura-Vivência é um prodígio.

    Acirema

    ResponderExcluir