domingo, 27 de maio de 2012

Cânticos de transcendência, primaveras e cinzas: Poesias de Mauro Nunes


Quem seriam os atuais "atores" da literatura fluminense?
Esta pergunta tem por resposta uma série de nomes que, entre os nativos das terras do estado do Rio de Janeiro e os nela radicados, compõem um caldo literário com o tempero bem ao nosso gosto.
A postagem que se segue vem esboçar (ou ainda, ilustrar) uma resposta à referida questão. Apresentamos um poeta que compõe o significativo cenário da literatura fluminense.





Cânticos de transcendência, primaveras e cinzas: Poesias de Mauro Nunes




 

Mauro Nunes (*)

Transcendências


Impossível não te ver
Na manhã vestida de ternura
Ornada à luz do sol
A despertar aquarelas
A rabiscar nos olhos
As silhuetas das montanhas
No dissipar sereno das nuvens.

Impossível não te reconhecer
No movimento do dia novo
No revoar das gaivotas
A bailar na rota dos ventos
Todas juntas, doce sincronia
A espalmar suas asas no ar
Coreografia na grafia das cores.

Impossível não te sentir
No despertar viçoso do verde
Nas canções das andorinhas
Na batuta da liberdade
A saudar com prazer o dia
E fazer voar nosso olhar
Da imanência de nossas planícies.


Maria’s


Almejada, proibida, odiada
Dona das cantigas de amor
Terno semblante da vida
Ser do gozo e dos escárnios.
Cascata de lágrima sem cor
Sonho ancorado nas pedras
Prisioneira da paixão
Teu prazer, o fel do varão.
És coragem e teimosia
Mais que corpo e alma
Mulher sim, além de Maria.
Constela a terra azulada
Recria a seiva do sopro
Amamenta tua liberdade.

  

Sempre primavera


                    Às margens do rio São João
 
Inaudita leveza de poesia ofegante
Gravita às margens do rio São João
Suspira a nostalgia do jovem amante
E palmilha nas primaveras que se vão. 
O canto solitário da água inquieta
A lira encolhida pela ausência sentida
Versos e metáforas clamam o poeta
Pelas ruas d’uma vila envelhecida. 
Das margens o horizonte de Casimiro
Encerram os montes linhas traçadas
O silêncio respinga um vago suspiro. 
Nas ruínas pelo tempo enrugadas
Permanecem como folhas de papiro
Poesias valorosas, imortalizadas.



Operário

             A meu pai, in memorian
 
Remexendo nos velhos papeis
Encontrei-te de colo aberto
Segurando minhas tramas
Acalentando com suas mãos operárias
Minhas quedas por rebeldias
Cresci entre seus largos passos
E banhei-me no seu suor
Suor que me fez o que sou
Andei nas marcas de seus pés
Ancorei minha vida em teu sopro
Agora ouço tua voz calada
E o sussurro de sua coragem
Nesta estrada de curvas e sonhos.


Cinzas

Sozinho, o silêncio do tempo
Chegava dedilhando trovas
Entorpecendo vozes diurnas
Calando prosas em poesias
A noite levantava das cinzas
Orvalhando o sono do dia.

Na poeira d’um quarto vazio
A lua roubava as ilusões
Reinventando o real incerto
Silenciosa ela adormecia
A luz da noite se apagava
E ressurgia as novas horas.


(*) Mauro Sérgio Souza Nunes é natural de Saquarema – RJ e tem 39 anos. Mora em Macaé, onde exerce há cinco anos o ministério sacerdotal local. É padre da Igreja Católica há dez anos. Além desse ofício, é formado em Letras Português-Literatura e, atualmente, conclui o curso de Licenciatura em Filosofia. É professor concursado do Estado e, embora afastado, colabora em um projeto de Vestibular Social. Colaborou com artigos para jornais de Rio das Ostras. É militante do Movimento Fé e Política e adepto de atividades culturais.





Divulgação Cultural
(Clique na imagem para ampliar)
 
 



20 comentários:

  1. Sublime, Kahlmeyer!
    Um primor a poesia de Mauro Nunes!
    Cumprimentos ao jovem poeta!

    Alda Galvão

    ResponderExcluir
  2. A religiosidade de "Transcendências",os laivos de arcadismo de "Sempre Primavera", o reconhecimento e a emoção da lembrança e do amadurecimento contidos no poema "Operário": a poesia de Mauro Sérgio é expressa com suavidade, mesmo em "Maria's" e também em "Cinzas", não tão suaves, mas não ásperas, contudo igualmente mostrando clareza em versos bonitos. Carlos Rosa Moreira.

    ResponderExcluir
  3. Padre e poeta. Como Junqueira Freire!
    Parabéns ao Mauro Nunes por sua bela lavra!

    Alberto Mauro

    ResponderExcluir
  4. Alcenor S. Loureiro28 de maio de 2012 07:45

    Caro Kahlmeyer,

    seu trabalho com a literatura se tornou indispensável para nossa orgulhosa Niterói.
    Na matéria de hoje, vemos, projetado de seu blog para o mundo, um sensível poeta!
    Parabéns ao Mauro Nunes pela poesia sentida e extremamente refinada!

    Mauro, você já tem livro publicado? Caso sim, onde conseguir.

    Boa semana para todos,

    Alcenor Silva Loureiro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Alcenor... obrigado pelos seus comentários. Ainda não tenho livro publicado, mas estou construindo o projeto, o que não tem sido fácil devido às demandas de tempo/serviço. Espero poder realizar este sonho, o quanto antes. Posso dizer que o Literatura vivência se tornou um grande incentivador para este projeto. Um abraço fraterno.
      Mauro Nunes

      Excluir
  5. Olá caro professor Roberto...
    Há poucos dias recebi o poema de Mário Quintana o qual dizia que se fosse padre, não faria sermões e sim declamaria as mais belas poesias. Para mim, poesia é transcendência, mística, contemplação, espiritualidade. É essa luz aberta ao Belo que se descortina diante de meus olhos. Mais uma vez, minha gratidão pela publicação dos meus textos. Um abraço fraterno.
    Mauro Nunes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não há como negar - e Quintana sabia bem disso - que exista uma dimensão poética na experiência da fé, Mauro.

      Abraços do Roberto

      Excluir
  6. Sua benção, Mauro! Parabéns pelos poemas! Se quiser, apareça nos "Escritores ao ar Livro", no dia 17 de junho, a partir das 10 horas da manhã, na Pça Getúlio Vargas, em Icaraí, para conhecer os poetas de Niterói. Estaremos comemorando 4 Anos na Praça! Até lá!
    P.R.Cecchetti
    idealizador e coordenador dos
    "Escritores ao ar Livro"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá P.R. Cecchetti... grato pela seu gentil comentário. Feliz em receber um convite seu para o evento "Escritores ao ar livro", o qual tomei conhecimento pelo Literatura vivência. Gostaria mesmo de conhecê-lo e estar presente nesta data, mas os compromissos dominicais são quase irrenunciáveis... não tenho a quem recorrer aqui para as celebrações. Contudo, não gostaria de perder uma outra possível oportunidade de encontrar-me contigo e conhecer de perto o belíssimo projeto. Um abraço na certeza de em breve encontrá-lo. Mauro Nunes

      Excluir
  7. Céliaq Regina dos Santos Rosa28 de maio de 2012 13:30

    Que maravilha poder ler, sentir, "degustar" mesmo, as poesias do Mauro! Já agora meu poeta de eleição! Há tempos, me delicio e aprendo muito, com suas homilias nas missas dominicais! Dono de uma notável fluidez oral nas palavras, vejo que também na arte de escrever. Parabéns ao Roberto por essa oportunidade de dar a conhecer a todos nós amantes da boa literatura, mais um promissor talento da nossa terra. Parabéns ao Mauro por tamanha sensibilidade .

    ResponderExcluir
  8. Sinto-me feliz e até abençoada por ter a oportunidade de ver e sentir postagens tão maravilhosas. Parabéns! Obrigada.
    Belvedere

    ResponderExcluir
  9. Parabéns Pe. MAuro, são lidas as posias.Por isso que digo que somos privilegiados com o Pe.mais inteligente da diocese e dono de uma simplicidade que cativa a todos.Deus o abençoe muito, muito.

    ResponderExcluir
  10. Parabéns ao Padre Mauro pelas belas poesias.Tenho aprendido a apreciar seu trabalho como padre e agora também a admirar seu talento pela poesia. Como vê, estamos todos encantados por você. Abraços.Gilcilene

    ResponderExcluir
  11. Parabéns!
    Mais uma vez, estou extasiada diante de tamanha delicadeza e suavidade em seus poemas.
    Transcendência e Maria's foram os que mais me chamaram atenção.
    Você realmente é um ser humano muito especial. Vou ficar aguardando, ansiosa, novas publicações.
    Abraços.
    Salete

    ResponderExcluir
  12. Tive o imenso privilégio de trabalhar com o Mauro durante alguns anos no Col.ESt.Barra de São João e gostaria de registrar que a beleza de sua poesia é a tradução literal da essência do Ser Humano que ele é: completo, fantástico e da melhor qualidade.
    Fico feliz de poder, neste momento, continuar acompanhando os feitos deste nosso grande e inesquecível amigo que todos lá na Escola amamos.
    Parabéns, meu querido!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como foi bom reencontrar a Valéria! Excelente professora de Língua Portuguesa e Literatura! Mulher aguerrida nos seus sonhos e profundamente sensível, acolhedora, companheira. Foram belíssimos momentos no cultivo de nossa amizade e na partilha do saber. Desde que cheguei à escola, sempre de mãos estendidas, gratuitas. Alegria imensa pela sua presença também aqui. Um grande abraço. Mauro Nunes

      Excluir
  13. Olá Pe. Mauro, recebi ontem mesmo as poesias.Lindas! Li e reli inúmeras vezes. As pessoas sempre nos surpreendem ,eu que fico degustando as suas homilias agora sou apresentada a um outro lado seu: poético, suave e extremamente delicado. Brincando com as palavras e tocando no coração.Parabéns. Estamos precisando de novos poetas.Parabéns!!!!Um grande abraço ,Leticia

    ResponderExcluir