segunda-feira, 16 de julho de 2012

"Decálogo da Velhice", por Wanderlino Teixeira Leite Netto






Decálogo da Velhice



1) No aconchego do útero, a Velhice começa a tecer sua teia.
2) Descartada a sedução dos eufemismos, Velhice é Velhice mesmo e como tal deve ser vivenciada.
3) A Velhice suaviza-se pela aceitação do inexorável e pelo desejo de agir na construção do ainda possível.

4) Qualquer pessoa tem o direito de assumir a Velhice e de expor, sem constrangimentos, as marcas do tempo.

5) Idade avançada, por si só, não impõe respeito. Os canalhas também envelhecem.

6) Ao velho são permitidas, anualmente, meia dúzia de ranhetices e igual quantidade de impertinências, pelas quais será perdoado sem necessidade de penitências.

7) São prerrogativas do portador de Velhice pijama de flanela e meias de lã para esquentar o corpo e afeto de netos para aquecer a alma.

8) A quem envelheceu é facultado cozinhar o presente em fogo brando e o futuro em banho-maria.

9) O sonho não é privativo do jovem. Também ao velho reserva-se o privilégio de adubar quimeras.

10) Envelhecer com dignidade é caminhar serenamente em direção ao crepúsculo.




Divulgação Cultural
(Clique na imagem para ampliar)

5 comentários:

  1. Gilson Rangel Rolim16 de julho de 2012 09:30

    Roberto.

    Muito inspirado o decálogo da velhice, do Wanderlino.

    Um consolo, apenas: "velho é quem já vai à frente / e tem dez mais do que a gente".

    Li e gostei da crônica do R.A. dos Anjos.

    Abç. Gilson

    ResponderExcluir
  2. Roberto K.M.
    Em vez do verbo ENVELHECER, que tal preferirmos
    a expressão FICAR MENOS JOVENS...? não muda nada,
    porém soa mais suavemente,creio.
    Um rejuvenescido abraço do
    Luiz Calheiros.

    ResponderExcluir
  3. Prezado escritor Kahlmeyer,

    Com 78 anos, bisavó, sonhadora, apreciei muito o Decálogo da Velhice de meu amigo Wanderlino, especialmente o 9º ítem que fala do direito ao adubo de nossas quimeras.

    Abraços.

    Elenir

    ResponderExcluir
  4. Roberto, seu Blog continua arrasando!

    Primoroso é este " Decálogo da Velhice" do escritor Wanderlino Teixeira Leite Netto!
    Com metáforas poéticas apropriadas e conscientizadoras mensagens, ele ensina a respeitar "a diferença" desses seres, geralmente postos à margem pelos jovens.
    Perfeitas, sobretudo, entre as demais asserções, as duas abaixo:

    8) "A quem envelheceu é facultado cozinhar o presente em fogo brando e o futuro em banho-maria."

    9) " O sonho não é privativo do jovem. Também ao velho reserva-se o privilégio de adubar quimeras."

    Cumprimentos de

    Dalma Nascimento

    ResponderExcluir