terça-feira, 8 de maio de 2012

"Nada a ver com a filha do prefeito": Terceira chamada para o lançamento do livro de Aso


O eclético cronista, contista, jornalista, poeta e desenhista Antônio Soares (literariamente Aso) prepara, para este ano, um livro que promete boas críticas. Sabendo como criar a expectativa aos seus leitores (técnicas, quem sabe, aprendidas com o “Amigo da Onça”, que ele desenhou para o magazine O Cruzeiro depois da morte de Carlos Estevão), Aso apenas envia ilustração, feita de próprio punho, dos personagens de seus principais contos.



Esquadrão da morte em "Nada a ver com a filha do prefeito"




 

                                                                                                                           Antônio Soares (Aso)

                                                                                                                             
Em vez de "A Pantera (que é animal esrangeiro) Côr de Rosa", vem à cena policial "A Jaguatirica (bicho tupiniquim)  Côr de Abóbora".  Assim a reportagem especializada criou o "Inspetor Cruz-ô", ironizando o franzino detetive Aldenir Moura ("Miúdo" para os íntimos ... e os demais também) que investigava os sucessivos óbitos - acidentes fatais, segundo a Perícia - ocorridos no Edifício Encarnação, atribuindo-os a um "Esquadrão da Morte".
O ananicado tira, entretanto, insistia na tese de assassinatos, não descartando também a sinistra
hipótese de que um "serial killer" vinha ceifando vidas no condomínio.
 Eis o mistério focalizado em "Nada a Ver Com a Filha do Prefeito" que o leitor encontrará no livro
"- Ouçam-me, por favor! Estou aqui! e outros contos ilustrados"  que o jornalista/cartunista Antônio Soares (Aso) editará ainda neste semestre.




Divulgação Cultural
(Clique na imagem para ampliar)


9 comentários:

  1. ASO, não aguento mais esperar o lançamento. Que venha logo o livro!
    Um grande abraço da fã
    Belvedere

    ResponderExcluir
  2. Espero, ansioso, o livro do Antonio. Sem dúvida, será deliciosa leitura. Antonio Soares é um talento.
    Carlos Rosa Moreira.

    ResponderExcluir
  3. Caro Roberto,

    Acabou a monotonia depois que o Literatura-Vivência chegou para nós.
    Obrigado!

    Marina Sousa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso aí, Marina!
      Belvedere

      Excluir
  4. O ASO É FERA!!!

    ResponderExcluir
  5. A literatura agradece. Abraços.
    Mauro Nunes

    ResponderExcluir
  6. Prezado Antônio Soares,
    Desde já, aguardo a publicação. Não se faça de rogado...
    Abç.
    Wanderlino

    ResponderExcluir
  7. Caro Kahlmeyer,

    Gostei muito do seu programa de resgatar os "Livros que marcaram Niterói". Quando você pará nova máteria sobre isso?

    De quinze em quinze dias é muito tempo!

    Sucesso

    ResponderExcluir
  8. Dalma Nascimento9 de maio de 2012 09:13

    Aso, por tanto tempo, você, nos e-mails, foi meu "enigmático" interlocutor. É mestre no fingir da ficção...Fingiu completamente. Eu entrei no jogo.
    De novo, estou curiosa: quero o final desta história. Com pantera ou jaguatirica, traga logo seu livro "pra" praça.
    Não seja amigo do onça!!! O traço, a letra e a ironia irão arrasar.

    Roberto, exímio detetive das letras, fez soar a terceira chamada. Igual no teatro. Não demore a performance. A plateia já o está aplaudindo ...
    Estou na claque.
    Dalma

    ResponderExcluir