quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

A poesia crepuscular de Lena Jesus Ponte


Poesias inéditas de Lena Jesus Ponte, exclusivas para o Literatura-Vivência:

Foto:  Steffane S. Tristão. Luzes da noite. 



                                                                                                                      Lena Jesus Ponte

Crepúsculo urbano


Um helicóptero deseja ser pássaro,
canta metálico.
Pálido, o Cristo sobre a montanha
afasta as asas cortantes.
Estridente, o fim do dia buzina.

Uma estrela se infiltra na paisagem,
pede passagem para a poesia.


* * *

Queda livre

Não tenho o álcool,
o ópio,
o lexotan,
o sono nem a morte
para me dar suporte.

Tenho a cirurgia sem anestesia,
o corte e a dor,
hemorragia que não estanca,
a cor vermelha sobre fundo branco.

* * *

Era uma vez, quase noite...

                         (para papai, in memoriam)

Ontem meu pai chegou
em inesperada visita.
Eu tomava café.
Ofereci a ele uma xícara.
Fumou um cigarro na janela.
Falou de umas tantas andorinhas
que trançavam o fim do dia...
Contei-lhe dos bisnetos que não conheceu.
A cada graça das crianças, ele sorria...

Na hora de ir embora,
sua mão de vazios pega a minha,
e a voz de neblina convida: − Vem comigo?

Eu quase que ia...

* * *

De passagem

Na rua dorme um menino
sem lençol de afeto.
Na rua sonha um menino
sonhos sem imagens.
Na rua seca um menino
sem sequer as miragens de um deserto.

O menino dorme,
abraçado à calçada,
aconchegado ao cimento.
Que faz todo mundo neste momento exato?
Dormimos todos um sono profundo.

***



Divulgação Cultural
(Clique na imagem para ampliar)



Se gostou da leitura, não esqueça de recomendar o Literatura-Vivência no Google [+1]

27 comentários:

  1. Palavras buscadas, caçadas, entremeadas, formando essa teia bonita que é a poesia da Lena. Poesia plena, linda como o crepúsculo que acabei de ver aqui de Icarai, o mais belo crepúsculo que um ser humano tem o privilégio de ver. Parabéns, Roberto, tá uma delicadeza essa postagem, e a gente precisa disso.
    Carlos Rosa Moreira

    ResponderExcluir
  2. Poesia de verdade!

    Bom gosto está só até aqui!

    Parabéns para os autores!

    ResponderExcluir
  3. Caro Roberto, grata pela publicação dos meus poemas. Tê-los no seu blog muito contribui para a divulgação de meu trabalho literário. Gostei da associação com a foto e o vídeo, o que acrescenta novos significados aos textos.
    Abraço fraterno,
    Lena

    ResponderExcluir
  4. Parabéns pela sensibilidade da poeta!

    A música e a foto, realmente, complementam a poesia.

    Há todo um clima nesta postagem.

    Ana Schermann

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezada Ana,

      Não possuo Facebook, mas agradeceria a quem pudesse difundir o blog nesta rede social.

      Que bom que você achou o Literatura-Vivência!
      Continue nos frequentando.

      Excluir
  5. Ei! Este blog não é divulgado no Facebook?

    Quem tem face divulgue. Só o achei o blog por acaso e deve ter mais gente no Face que vai gostar.

    Ana Schermann

    ResponderExcluir
  6. Caro Roberto,

    É sempre uma alegria poder ler boa poesia e dialogar com gente interessante.

    Seu Blog propicia isso.

    Cumprimente a Lena pela grande poetisa que ela é.

    Abraços
    Marcos Ramalho

    ResponderExcluir
  7. Emmanuel de Macedo Soares4 de fevereiro de 2012 07:19

    De bons achados são feitos os bons poetas. Andorinhas trançando o fim do dia soa bonito e atiça a sensibilidade até o leitor mais distraído. Num tempo de poesia tão depreciada, é bom descer os olhos num texto assim, leve sem ser vazio, doce sem ser meloso. Intimidade com a palavra e competência na construção.

    ResponderExcluir
  8. Kahlmeyer,

    Onde é que vc descobre esses nomes?

    Estive no site da autora, adorei tudo que vi por lá e já comprei, agora pela manhã, na Estante Virtual, um dos livros dela: "Na trança do tempo".

    É muito louvável o espaço que você faculta à literatura de nosso estado. Generoso e de bom nível.

    Quem é publicado e quem lê o seu Blog podem ser considerados felizes beneficiários.

    Parabéns Lena por todo este imenso talento, um abraço.

    Nelson Caldas

    ResponderExcluir
  9. Poesia do tipo: BOA!

    Isto é valor.

    Marthinha

    ResponderExcluir
  10. A tal Lena Ponte tem cara de intelectual!

    A poesia é de uma leitora de poesia: letra e espírito irmanados.

    ResponderExcluir
  11. Como fã ardorosa de seu trabalho e como a mais incompetente do mundo em internet quero pedir a você para passar para minha neta o seu
    blog.

    Beijos e abraços
    Branca

    ResponderExcluir
  12. Por que a escritora Cyana Leahy nunca recebeu uma postagem neste blog?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lena não havia sido publicada tb. É questão de tempo, não?
      Marcelo Lopes

      Excluir
  13. Raberto,

    São boas as poesias da Lena Jesus Ponte, mas conheço coisas dela mais bel elaboradas. Seu livro "Ávida palavra" é obra prima!

    Rose Latini

    ResponderExcluir
  14. Não tenho recebido suas atualizações. Entrei agora pelo google e me deparei com essa preciosidade. Lena é sublime. Nada mais consigo dizer.
    Belvedere
    belvederebruno14@gmail.com.br

    ResponderExcluir
  15. Elenir Moreira Teixeira4 de fevereiro de 2012 18:07

    Linda a poesia de Lena!
    "O menino dorme abraçado à calçada e aconchegado ao cimento." "A
    estrela pede passagem à poesia".
    Belíssimas imagens! Somente sua enorme sensibilidade poderia criá-las,
    e todas as outras.
    Parabéns Lena! Parabéns Roberto pela delicadeza da postagem!
    Abraços.
    Elenir Teixeira

    ResponderExcluir
  16. A música é envolvente, né?... Sensual...

    ResponderExcluir
  17. Amigo Roberto,

    Escrevo para agradecer pela noite de ontem.
    Você é um grande anfitrião e um grande cozinheiro, eu e o Felipe não conhecíamos o seu dote para iguarias do leste europeu! (Eu e o maridão saímos daí dizendo: O “desgraçado” ainda sabe cozinhar! Rsrsrsr).

    Ficamos muito impressionados com sua biblioteca!
    Acho que não falta nada ali. É a biblioteca particular de filosofia mais completa e luxuosa que conhecemos!

    Nos orgulhamos de ser seus amigos,
    Da próxima vez o jantar regado a vinho será aqui em casa.

    Abraços,
    Yara e Felipe

    ResponderExcluir
  18. Nossa, as poesias de Lena Jesus Ponte são belíssimas. Que lindos versos esses: do helicóptero que "canta metálico"; de andorinhas "que trançavam o fim do dia..."; da "mão de vazios pega a minha,". O poema "de passagem" é uma obra prima, tocou-me profundamente.

    ResponderExcluir
  19. GRANDE POETISA!

    TRISTÃO

    ResponderExcluir
  20. Kahlmeyer,

    Frequento o seu Blog (Literatura-Vivência) e até leio a literatura dele, mas o que gosto, mesmo, são das músicas. Às vezes entro só para ouvir música e ver vídeos!

    Parabéns pelos repertórios,

    Ana Marques Sobral

    ResponderExcluir
  21. Temos o prazer de comunicar que a postagem com a poesia de Lena Jesus Ponte atingiu nesta manhã a marca de 300 acessos.

    ResponderExcluir
  22. É uma grande alegria ver que a poesia ainda move interesses. 300 acessos numa postagem, em tão pouco tempo, é uma excelente marca!

    Parabéns à Lena.

    Clausio Valerio

    ResponderExcluir
  23. O BLOG É UMA EXCELENTE VITRINE, EXCELENTE VITRINE!

    PARABÈNS A LENA PELA PUBLICAÇÃO.

    ABRAÇOS DO COLEGA POETA,
    JOSÉ ILDO

    ResponderExcluir
  24. Lena sempre me pareceu um anjo-humano capaz de nos fazer sorrir em horas tristes e chorar de alegria.
    Tenho todos os seus livrose sempre que ando carente de poesia é em Lena que busco alento. Bjos
    carinhosos para ela e você, Roberto.
    Branca Eloysa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Margareth Desmarais5 de fevereiro de 2012 15:47

      Parece mesmo que a poesia une as pessoas e dá um brilho diferente à vida. Tão bela e realista quanto a poesia de Lena é esta sua declaraçao à autora. Muito comovente!

      Excluir