quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

O Desejo segundo Lorca e Alonso


Quem um dia afirmou que o desejo era problema pertencente à dialética hegeliana precisa dar uma boa lida em Lorca e em Alonso... O desejo é dos poetas.


Flamenco, Anônimo.


Desejo

                                                                                                                                  García Lorca


Só o teu coração quente
e nada mais.

Meu paraíso um campo
sem rouxinol nem liras,
com um rio discreto
e uma fontezinha.

Sem a espora do vento
por sobre a copa,
nem a estrela que quer
ser folha.

Uma enorme luz
que fosse
vaga-lume
de outra,
em um campo de
olhares partidos.

Um repouso claro
e ali nossos beijos,
lunares sonoros
do eco,
se abririam mui longe.

E teu coração quente,
nada mais.


(LORCA, García. Livro de poemas, canções e outras poesias. 2ª ed. Trad. Oscar Mendes. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1976. p.108.)


Desejo



Quero a noite de rosas dos teus olhos
para acalanto dos meus dias sidos
e o frescor do luar dos teus cabelos
para orvalhar de lírios meus caminhos.

Quero a brisa de estrelas dos teus passos
para rota dos meus cheios de ocasos
e a música do azul das alvoradas
no silêncio trevoso das esperas.

O brancor de camélia dos teus seios
e a sucata de sombras dos teus gestos
para encher de ternura os meus vazios.

Quero a manhã que trazes pelo corpo,
translúcida de longes siderais,
para sermos um só no amor total!

(ALONSO, José Inaldo. O luar de meus andados. 2ª ed. Niterói: Nitpress, 2009. p.50)





Divulgação Cultural
(Clique na imagem para ampliar)


Se gostou da leitura, não esqueça de recomendar o Literatura-Vivência no Google [+1]

14 comentários:

  1. Pô Kahlmeyer!

    Vc termina o post falando de "amor total" e depois posta um vídeo desses!

    Sem avisar para as pessoas que sofrem do coração!

    ResponderExcluir
  2. Emmanuel de Macedo Soares1 de fevereiro de 2012 11:26

    Toma tenência, alemão...

    ResponderExcluir
  3. Esta cena do filme do Buñel causa espécie até hoje...

    ResponderExcluir
  4. "Tratamento de choque", mas tudo bem, bom gosto em tudo.
    Carlos Rosa Moreira

    ResponderExcluir
  5. "Fiquei, feliz, no planeta!
    Afinal é nele que estão
    minha mulher Nicoleta
    e um certo amigo 'alemão'."


    Abraço,
    Sandro

    Sandro

    ResponderExcluir
  6. Ui, ui! que aflição! Quanto incômodo!!! Fiquei histérica!

    ResponderExcluir
  7. Caro Kahlmeyer,

    Uma vez mais seu bom gosto acertou em cheio!

    Abaixo a arte feita para combinar com a decoração.
    Arte foi feita para mexer com a gente, nem que seja por meio de um incômodo!

    Arte tem mesmo de ser navalhada no olho!

    Lorca, Alonso, Buñel três excelentes provocações (navalhadas, estiletadas, estilos)

    Lucio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Para de falar besteira, Mané.

      Vou passar uma lambida de navalha no seu bucho para você ficar tranquilo!

      Menininho inocente, criado pela avó à leite com pêra...

      Ass:
      Gil Brother (Away)

      Excluir
  8. Achei que os vídeos desviaram a atenção dos poemas.

    Gostei mais do vídeo de flamenco, no link da foto, do que do Filme do Buñel.

    O programa "Poetizando" é muito bem feitinho, parabéns para sua apresentadora.

    ResponderExcluir
  9. O surrealismo de Buñel e a poesia cigana de Lorca são algo mais.

    ResponderExcluir
  10. Jacqueline Ramos Amoedo3 de fevereiro de 2012 10:10

    Parou por que? Por que parou?

    Vamos dinamizar este Blog!

    Queremos postagem nova!

    ResponderExcluir