terça-feira, 7 de junho de 2011

O encontro de Euclydes com a “Taverna”



Imaginem o literato Euclydes da Cunha, sentado a uma mesa de bar com uma caneca diante de si... Imaginem mais: o mesmo Euclydes brindando – efusivo – em uma festa de poesia preparada por jovens que vêm se destacando por seu talento, criatividade, bom gosto e despojamento. Para alguns cultores da obra euclidiana, a cogitação desta imagem seria uma heresia. Aos poetas marginais, entretanto, é este Euclides (com ‘i’ fica mais simpático) que interessa.

Antes, contudo, de alguém se indignar com a aplicação do termo “marginal” (usado acima para designar o grupo de poesia Noite na taverna), faz-se necessário dizer que ser “marginal”, aqui, é uma dádiva! É estar à margem da poesia empedernida e de certos grêmios que só a burocratizam ainda mais; é estar no centro da palavra vivida e das experiências estéticas “quentes”; é possuir a liberdade e ousadia necessárias para corroer conformidades e operar as transformações que a arte da palavra precisa para voltara a ser boa e bela. Ser marginal, então, é rezar pela cartilha de goliardos como: Leminski, Cacaso, Chacal, Glauco Matoso... (Amém, para todos!).
No dia 10 de junho próximo, o grupo Noite na taverna homenageará a poesia de Euclides da Cunha. Nesta ocasião, os Tavernistas Rodrigo Santos, Romulo Narducci e Pakkatto, explorarão a face menos conhecida do autor de Os Sertões, a saber: sua obra poética! (sic). Imortalizado por sua prosa, o grande público ignora que o escritor era também um exímio sonetista!
Na festa que a “turma da taverna” prepara para Euclides, ainda haverá a participação dos poetas Eduardo H. Martins, Rod Britto e Alessandra Moraes dos Santos. A música ficará a cargo de Tuca Marques, compositor e cantor. O evento ainda terá no local a exposição de artes plásticas de Luiz Hazediaz.


Coroando a festa, teremos, ainda, o lançamento do livro Entrega – A essência de uma mulher (Nitpress), de Janaína da Cunha, bisneta de Euclides (mas não se impressionem com esse epíteto, seu parentesco com gênio fluminense é apenas a menor parcela de brilho que esta jovem poetisa possui).

Um abraço aos Tavernistas, sucesso ao livro de Janaína e um trago ao Euclides da Cunha revisitado!

Data: 10 de junho, 19h.
Local: SESC São Gonçalo, Av. Presidente Kennedy, nº 755, Estrela do Norte, São Gonçalo, RJ.
Tel: (21) 2712-2623.
Entrada franca



3 comentários:

  1. Roberto,
    obrigada pelo apoio. Belíssima matéria!
    Não se faça de rogado... venha na sexta-feira! Estamos o aguardando.
    Beijos!
    Janaína da Cunha

    ResponderExcluir
  2. Aderaldo Figueiredo8 de junho de 2011 09:51

    Amigo Kahlmeyer,

    Só musas e sacerdotizas da palavra estão em seu Blog. Primeiro Belvedere, agora a Janaína!
    As letras femininas bem representadas!

    Parabéns!
    Devo comparecer no evento dos tavernistas, até pq moro em SG e não sabia que movimento tão bacana existia!

    Abraços
    Aderaldo

    ResponderExcluir
  3. Marcelly Vespasiano8 de junho de 2011 09:57

    Ae prof, ó eu ae d novo.
    Muito irado os tavernistas! woohooooooo!

    E a música do Chico no final! A letra!
    :o

    Seu blog, adoro!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    Fik Dik

    ResponderExcluir