quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Índice remissivo do romance "O dom do crime", de Marco Lucchesi (exclusivo para o Literatura-Vivência)



Adicionar legenda

No domingo dia 4 de março, serão retomadas as atividades do projeto Escritores ao ar livro, das 10 às 13h., na praça Getúlio Vargas, na praia de Icaraí. O espaço oferecido pelo escritor e publicitário Paulo Roberto Cecchetti congrega outros escritores, leitores e demais amantes da cultura. Durante toda semana, até a referida data, o Blog Literatura-Vivência brindará com seus leitores alguns dos Escritores ao ar livro, publicando seus textos.
Será tim-tim até o domingo da semana que vem...



Um índice remissivo... e para que serve um índice deste tipo? Ora, em obras com rico conteúdo e temática vária, referências históricas (biográficas e topográficas), este tipo de guia nos permite o fácil acesso a dados e informações registrando a incidência e localização de cada um desses elementos. Um índice remissivo, assim, faz com que saibamos onde está o quê e nos permite uma visão mais abrangente do conjunto da obra.
É bem verdade, não é todo livro que precisa de um aparato como este, mas, no caso do romance O dom do crime, é uma cortesia oferecer clareza remissiva a prosa tão erudita.
Sem pretensões, o membro da Academia Niteroiense de Letras Luiz Antonio Barros oferece ao seu confrade Marco A. Lucchesi este elenco de remissões. Tão completo quanto o possível, o belo e riquíssimo romance ambientado no Rio de Janeiro do século XIX está, agora, devidamente mapeado pelo espírito cartografador e atento do Prof. Barros.
Quem já leu o livro de Marco Lucchesi agora pode relê-lo (valeria a pena) servindo-se das entradas deste índice. Aos que ainda não leram, têm nesta ferramenta carta a astrolábio para fazê-lo. 
Boa leitura!  


 
LUCCHESI, Marco A. O dom do crime. Rio de Janeiro: Record, 2010.



ÍNDICE REMISSIVO
 


                                                                                                                            Luiz Antonio Barros

Academia  Imperial  de  Medicina, 56

Acrópole, 10

Agostinho, Santo,  11, 148

Alcazar Lírico, O, 93

Alencar, José de, 43, 47

Alencar, Leonel de [ irmão de José de Alencar ] , 41

Alferes Almada, 17

Alienista, O, 142

Aljube, 14, 80

Almanaque Laemmert, 36, 139

Almeida, Manuel Antônio de, 22

Alusão a Francisco Otaviano: a vida em brancas nuvens, 91

Alusão a José de Alencar:  a volúpia que lhe estremecia o corpo, 123

Alusão a Machado de Assis: a geologia dos campos santos, 21; o território da loucura – O Alienista, 33; a roda dos enjeitados – Pai contra Mãe, 62;  centenas de Escobares, 24; a natureza parecia estar chorando: alusão a Brás Cubas, de Machado de Assis, 32

Antônia, a índia, 13

Ao Bastidor de Bordar, 43

Ariadne [ personagem da mitologia grega],  134

Arquivo Nacional, 154

Azevedo, Aluísio de, 80, 81

Barão de Cotegipe, 51

Barão de Paranapiacaba, 51

Barão de Petrópolis, 133

Barão de Torres Homem, 36

Barbeiro de Sevilha, O, 45

Barbosa, Dr., 135

Barbosa, Rui, 16, 38, 156

Baronesa de Taquari, 72

Baronesa XXX, 12

Beaumarchais, 45

Bentham, 14

Bentinho & D. Glória, 62

Bentinho & Mariano, 57

Bento Santiago ( Bentinho ), 22, 39, 41, 53, 56,63, 65, 68, 76, 83, 87, 88, 89, 99, 107, 109, 127, 147

Berquó, rua, 132 [ próximo ao São João Batista ]

Biblioteca Nacional, 12, 154

Bilac, Olavo, 58

Blanqui, Louis, 11, 14, 24, 36, 105, 111, 146, 147

Bocaiúva, Quintino, 31, 47

Brás Cubas, 37, 112, 127, 146, 152

Brás Martins [ pai de Olavo Bilac ], 58

Bruxo do Cosme Velho, O, 151

Busch Varella, 16, 17, 18, 19, 38, 49, 51, 68, 92, 95, 96, 103, 107, 108, 115, 135, 137, 139, 143

Camargo, Aurélia, personagem de Senhora, de Alencar, 43

Camilo, 63

Camilo de Montserrat, 12, 13

Campo de Santana, 22, 75, 87, 88

Candiani, 22

Cândida de Paiva Oliveira, D. , 129, 130, 131, 132, 137, 138

Capital do Império, A, 21

Capitólio, 10, 118

Capitu [ personagem de Dom Casmurro, de Machado de Assis ] , 39, 41, 43, 63, 68, 75, 76, 83, 85, 87, 99, 100, 109, 112, 127, 128, 147, 152

Carlos Arthur Busch Varella, 38: v. Busch Varella

Carlota, 50

Carolina Augusta, 55

Cartomante, A, 63

Casa de Pensão, 80, 81

Casa de Pianos de Guigon, 44

Casa dos Condes de São Mamede, 73

Casa Verde, A, 142

Casimiro de Abreu, 103

Castro Alves, 51

Catete, 132

Celso, Afonso, 31

Cemitério de Caju, 154

Cemitério do Maruí, 52, 154

Cerqueira Lima, Dr., 33

Champanhe, um caso de metonímia, 97

Champollion, 22

Cícero, 50

Coelho, Carlos, 129

Colégio dos Jesuítas, 21, 36, 117

Colégio Pedro II, 13, 50, 51

Comborço [ palavra empregada por Machado em Dom Casmurro e no conto Missa do Galo] , 92

Comte, 11

Conde d’Eu, 56

Conde de Irajá, 46

Conselheiro Aires: Carmo e Aguiar, 44

Convento de Santa Teresa, 25

Corte, A, 15, 16,23, 36, 38, 45, 46, 51, 55, 59, 68, 102

Cosme Velho, 10, 73

Crisálidas, de Machado de Assis, 43

Cúria metropolitana, 154

Curupaiti, 26

D. Pedro II, 13, 26, 46, 91

Da Ajuda, ladeira, 117 [ denominada Ladeira do Seminário até o séc. XX ]

Da Ajuda, rua, [ atualmente Chile ], 93

Da Alfândega, rua, 22

Da Carioca, rua, 23 (?)

Da Guanabara, baía, 23, 25, 48   

Da Guarda Velha, rua, [ atualmente rua da Av. Treze de Maio], 65

Da Imperatriz, rua,[ atualmente rua Camerino],  33

Da Lapa, praia, 12, 25

Da Mãe do Bispo, ladeira, 117

Da Misericórdia, ladeira, 21, 117

Da Silva, Helena Augusta, 26, 32, 33

Das Belas Noites, rua, 43 [ atual Rua Juan Pablo Duarte ]

Davi, As trombetas de, 47

De Botafogo, praia, 23, 39

De Icaraí, praia, 41

De Moraes, Evaristo, 17, 18, 19

Demóstenes, 50

Deolinda Belarmina, 55

De Santa Luzia, praia, 43

De São Pedro, rua, 14 [ Foi incorporada à Av. Presidente Vargas ]

Deuses de Casaca, Os, 32

Diário do Rio de Janeiro, 31, 79

Dias, Antônio, 131

Dias, José, 56, 57,67, 68, 75, 112

Dias, José, o agregado e Divino, Leonor Eufrosina do Amor, a agregada, 67,68, 79, 83, 87

Direita, rua, 50 [atual Rua Primeiro de Março ]

Divina Comédia, A, 15, 147

Divino, Leonor Eufrosina do Amor, 69

Do Carmo, ladeira, 118

Do Castelo, ladeira, 117

Do Castelo, morro, 118 [ hoje Esplanada do Castelo]

Do Cotovelo, ladeira, 117, 119 [ Beco do Cotovelo é a atual Rua Vieira Fazenda ]

Do Hospício, rua, 44 [ atual Rua Buenos Aires ]

Do Ouvidor, rua, 31, 69

Do Resende, rua, 53

Dom Casmurro, 19, 57, 64,87, 88, 99, 153

Don Giovani, 38

Dos Barbonos, rua, 20,26, 33, 36, 59, 61, 62, 73, 75, 76, 102, 115, 130, 131, 151 [ atual Evaristo da Veiga ]

Dos Ourives, rua, 10 [ Atual Rua Miguel Couto ]

Dos Santos, Maria José, 35

Doutor Ciclope, 15

Doutor Ulisses, 15

Duarte, Antônio, 135. V.  Duarte Coronel

Duarte, Coronel, 91, 93, 101, 102, 103, 137

Ebing, Kraft, 142

Eça de Queirós, 85

Eclesiastes, 11

Eldorado, O, 92, 93, 99

Eponina, D., esposa de Francisco Otaviano, 91

Escobar, 24, 100

Escrava Esperidiana, A, 26, 44, 54, 115, 116, 121

Esperidião, 58, 83

Eufrosina, Leonor, 68, 139

Eu narrador & Brás Cubas, 11

Eu narrador & Ninguém, Dr. Ulisses, Dr. Ciclope, 15

Evangelho das Selvas, O, 51

Evaristo da Veiga, rua: futura denominação da rua dos Barbonos, 131

Faculdade de Direito de São Paulo, 50

Faculdade de Medicina do Morro do Castelo, 35

Fagundes Varela, 51, 52

Faillace, Vera, 154

Feijó, Luís, 56

Felisberta, esposa de Busch, 51

Félix, personagem de Ressurreição, de Machado de Assis, 147

Ferreira Viana, 16, 132

Festa do Divino, 22

Filangieri, 14

Filgueiras, Caetano, 14, 103

Firmo Diniz, 17, 53, 64, 93, 95, 139

Floresta, Nísia, 38

Fort Du Taureau, 146

Fortaleza de Santa Cruz, 119

Francisco de Monte Alverne, 45. V. Monte Alverne

Freguesia de São José, 55

Freiras da Ajuda, As, 12

Francisca de Assis, mãe de José Mariano de Assis, 55

Francisco Otaviano, 61, 91

Fúrias, As [ essas temíveis divindades mitológicas são a personificação da maldição ], 121

Gazeta Médica do Rio de Janeiro, 134

Graziela, a gata, 11, 146

Guerra do Paraguai, A, 26, 31, 38, 45, 130, 133

Guerra do dos Canudos, 17

Gustavo, 84

Hanehmann, 10, 56

Havana, um caso de metonímia, 14, 20

Helena do Vale [ pers. do livro Helena, de Machado de Assis,  43, 87

Helena Augusta, 38: novo nome de Helena Maria, após o casamento, 35,36, 37, 39, 41, 43, 59, 75, 83, 85, 86, 88, 92, 93, 99, 101, 102, 103, 107, 108, 112, 113, 115, 116, 121, 122, 127, 128, 129 , 130, 131, 137, 138, 143, 145, 146, 147, 152

Helena Maria – V. Helena Augusta.  

Hipócrates, 96

Hospício de Pedro II, 135

Hotel Brisson, 93

Hôtel de France, 26

Hotel do Globo, 20

Hugo, Victor, 45

Iago, 88

Igreja da Glória, A, 39, 133

Igreja de Santana, 37, 88

Igreja de São Gonçalo Garcia, 22

Igreja de São Pedro dos Clérigos, 22

Igreja do Carmo, A, 26, 43

Imitação de Cristo, 43

Inferno de Dante, O, 131

Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, 20, 152

Instituto Homeopático do Brasil, 56

Janela dos Barbonos & Janela de Montecavalos, 75

João Caetano, 48

Joaquim Maria [Machado de Assis], 26

Jordão, Lia, 154

Jornal do Commercio, 12, 79

José Maurício, Pe, 55

José Veríssimo, 147

Juliana [ empregada em O Primo Basílio], 85

Junqueira Freire, 51

Jurujuba, 13

Lagrange, 22

Leopardi, 11

Leopoldina Josefina,  55

Livraria Garnier, 12, 13

Lopes, Solano, 147

Lucia de Lammermoor, 22

Lucíola, livro de José de Alencar, 12 ; volúpia que lhe estremecia o corpo: Lucíola, cap. 7, 123

Luísa, personagem de O Primo Basílio, 27, 85

Luiza Maria, irmã de Helena Maria, 36, 133

Macedo, Joaquim Manuel de,  22, 37, 46, 80, 117, 118

Machado de Assis, 14, 19, 20, 21, 22, 27, 31, 32, 33, 38, 39, 43, 45, 47, 52, 55, 59, 62, 63, 64, 71, 72, 85, 91, 103, 111, 112, 113, 117, 119, 147, 152

Madame Barbet, 36

Madame de Staël, 72

Marquês de Caxias, 31, 147

Marquês de Maricá, 42, 55

Marquês de Olinda, 12

Marquês de Sade, 11, 148

Marquês do Paraná, 38

Matacavalos, 75 [ atual Riachuelo]

Matusalém, 13

Medeiros e Albuquerque, 152

Mendonça, Lúcio de, 48

Moisés, 28

Monte Alverne, 16, 45, 46, 47, 48, 49, 51, 111, 112, 147

Morro do Castelo, 18, 23, 25, 36, 59, 61, 117, 147

Morro do Senado, O, 25

Mosteiro de São Bento, 25

Museu da Justiça, 154

Nabuco o pai de , 15 (?)

Nabuco de Araújo, 51

Nabuco, Joaquim, 152

Napoleão, Arthur, 71

Neves, Antônio José Pereira das, 135

Ninguém, 15

Niterói, 11, 15, 37, 109, 119

Nossa Senhora do Desterro ( Itaboraí ), 35

Novais, Carolina Augusta Xavier de [ esposa de Machado de Assis], 38, 71, 72

Olimpo, 135

Ordem da Rosa, 59

Ordem de Cristo, 59

Otaviano, Francisco, 47,61, 91

Pascal, 11

Passeio Público, O, 13, 25, 43

Paulo e Francesca, 131

Perez, Eliane, 154

Pertence, Dr., 135

Pia dei Tolomei, 15

Ponta de Iago [ Uma ponta de Iago é o título do cap. LXII de Dom Casmurro ], 68

Pontes Visgueiro, 80

Porcelana de Sèvres, 96

Porto, um caso de metonímia, 97

Praia Grande, 41, 109 [ atual Niterói ]

Primo Basílio, O, 27, 85

Princesa Isabel, A, 51, 56

Quando eu era vivo, 152

Quincas Borba, 111

Rabelo, Laurindo, 36, 41

Raimundo Martiniano, 76,  84, 124, 129, 130, 131, 132, 137, 138

Renan, 10

Ressurreição, livro de Machado de Assis, 147

Ribeyrolles, Charles, 52

Rio de Heráclito, O, 12

Rita, 63

Romero, Sílvio, 10

Roda dos Enjeitados, A,  [ aparece no conto Pai contra mãe, de Machado de Assis], 62

Rossio, 103

Santa Casa de Misericórdia, 26, 58, 154

Santo Agostinho, 148

São Domingos, Niterói, 41, 102, 108, 109, 115

São Jorge, 22

São Leonardo, 25

São Luís do Maranhão, 80

São Severo, 25

Schmidt de Vasconcelos, Dr., 9, 10, 20, 148

Segredo de Augusta, O, de Machado de Assis, 92

Sêneca, 10

Senhora, ou seja, Aurélia Camargo, do romance Senhora, de Alencar, 84

Silva, José Joaquim Ludovino da, 135

Silva, José Mariano da, 26, 32, 36, 38, 39, 41, 50, 53, 55, 57, 58, 59, 64, 65, 68, 80, 83, 88, 89, 91, 92, 93, 96, 97, 99, 101, 102, 106, 107, 108, 109, 115, 121, 122, 129, 130, 132, 133, 134, 135. 136, 137, 138, 139, 141, 143, 147

Sisson, 46

Sociedade Petalógica, 103

Sófocles, 48, 49

Souza, Raimundo Martiniano Alves de, 129. V. Raimundo Martiniano

Surville, Léon, 129

Teatro de São Pedro, 22

Tijuca, 41

Tio Cosme [ personagem de Dom Casmurro, de Machado de Assis ] , 53, 80

Torres Homem, pai, / Torres Homem, filho, 56, 133, 134, 135, 136, 139, 143

Trabalhadores do Mar, Os, 45

Tristão e Isolda, 58

Valadão, Manuel, 56

Vasconcelos [ personagem de O Segredo de Augusta, de Machado de Assis], 92

Vasconcelos, Zacarias de Góis e , 26, 112, 132, 147

Vilela, 63, 64

Visconde de Taunay, 13, 152

Viscondessa de Abrantes, 12

Vitória do Riachuelo, 112

Viveiros de Castro, 141, 142

Viúva Coelho, A, 26, 130, 137, 138. Cf.  Coelho, Carlos

Viúva XXX, 12

Xavier, Faustino, 71, 72

Xavier, Francisco, 56

Zanardeli, 13






Divulgação Cultural
Clique na imagem para ampliar)
"Luís Antônio Pimentel - 100 anos em foco", uma retrospectiva da vida do jornalista, professor, historiador e poeta Luís Antônio Pimentel que, em 29 de março, completa 100 anos! A exposiçãoacontece no Solar do Jambeiro, com vernissage no dia 22 de março, 5ª feira, às17 horas. A curadoria é do fiel amigo e também poeta, Paulo Roberto Cecchetti.No dia 19 de abril haverá um "talk show", às 16 horas, com a presençado homenageado. A exposição fica aberta para visitação até 29 de abril,domingo, no horário de funcionamento do Solar. Na foto um bico de pena dosaudoso artista plástico Miguel Coelho com haicai do Pimentel.


Se gostou da leitura, não esqueça de recomendar o Literatura-Vivência no Google [+1]


6 comentários:

  1. Que trabalheira que o Prof. Barros teve!!!

    ResponderExcluir
  2. Kahlmeyer seu blog literário é, de longe, o mais interessante que eu conheço!

    Um abraço do Lucio

    ResponderExcluir
  3. O livro é excelente. Pretendo reler.
    Abs
    Belvedere

    ResponderExcluir
  4. Gilson Rangel Rolim1 de março de 2012 11:39

    Roberto,

    meus cumprimentos ao Barros pelo exaustivo mas excelente trabalho.

    Abç. Gilson

    ResponderExcluir
  5. Olá professor Roberto,
    Não li ainda o livro, mas o trabalho de Luis Antonio Barros é, com certeza, um empreendimento de quem se dispõe por inteiro às riquezas literárias. É admirável quem se debruça inclinada e minuciosamente num trabalho como este.
    Um abraço... Estar em sintonia com o Literatura-Vivência é fazer uma restauradora peregrinação pelos caminhos da nossa literatura. Com certeza!!! Mauro Nunes

    ResponderExcluir
  6. Roberto Kahlmeyer:

    Desde, pelo menos, os bem elaborados romances de José de Alencar, me referindo aos romances históricos,sobretudo, notas explicativas, expressões de linguagem, ou de fatos elucidativos de algumas passagens da ficçao sempre foram bem-vindas ao leitor.
    Quando, porém, se trata de romances de linhagem histórico-erudita, o recurso de neles incluir um Índice Remissivo mais ainda auxiliará o leitor, além de enriquecer este último com a extensão das remissões, de localização imediata de citações , dados referenciais e alusões culturais de toda sorte, que visem a facilitar o processo de leitura. Parabéns ao meu amigo e colega de magistério , Professor Luiz Antonio de Barros - um incansável pesquisador de assuntos relacionados à linguagem dos escritores brasileiros e ao cuidado com que se devota a trabalhos meticulosos desta natureza. O Índice Remissivo ao romance de Marco Lucchesi, o Dom do crime, que ainda não li, ganha também com mais este recurso textual.
    Cunha e Silva Filho

    ResponderExcluir