quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Duas poesias inéditas do poeta Mauro Nunes


Quem já se deu a pena de ler o cabeçalho do nosso blog – aquele que é comum a toda postagem – deve lembrar que uma das bandeiras empunhadas pelo Literatura-Vivência é: “Preservar a memória dessa literatura, promover o trabalho de autores cujas obras já se encontram consolidadas e apoiar as promessas que ingressam na senda literária (...)”.
É com gosto que a postagem de hoje apresenta um talento fluminense digno de nota: Mauro Nunes. Deste poeta, teremos duas poesias inéditas e exclusivas para o Literatura-Vivência.
Boa leitura!


O Beijo, de Maria João Franco


Ósculo

Mauro Nunes (*)

Um beijo amigo, ternura
Mãos entrelaçadas, concórdia
Um abraço fraterno, companheiro

Mais que selar um contrato
Ainda que em papéis de seda
Mais que definir sentenças
Ainda que sejam plausíveis 

Mais que degustar a bebida
Ainda que a mais nobre
Mais que sentar à mesa
Ainda que sejam íntimos
Mais que inaugurar o novo
Ainda que seja preciso

O ósculo profetiza a paz
Desarma as tramas soberbas
Eterniza o sabor do amor
O ósculo não é o selo do traidor
É a súplica por compaixão
Não é o prêmio da insensatez
É o sublime toque de unidade
Na essência do universo-amor.


 Fluidez

O tempo vem num vai e vem
Sem horas, minutos, sem tempo
O ontem sobrevive no agora
O já deseja o imprevisível do depois
Lá se foi o espanto da razão
Fecharam-se os olhos à contemplação
Não há tempo
Para o improviso do aviso
O teatro está desnudo, não há ensaio
Tudo flui, tudo é e já não será
A rotina é fria como cálculos
A inspiração se apagou no tempo
Que venha na manhã,
O amanhã.



(*) Mauro Sérgio Souza Nunes é natural de Saquarema – RJ e tem 39 anos. Mora em Macaé, onde exerce há cinco anos o ministério sacerdotal local. É padre da Igreja Católica há dez anos. Além desse ofício, é formado em Letras Português-Literatura e, atualmente, conclui o curso de Licenciatura em Filosofia. É professor concursado do Estado e, embora afastado, colabora em um projeto de Vestibular Social. Colaborou com artigos para jornais de Rio das Ostras. É militante do Movimento Fé e Política e adepto de atividades culturais.





Se gostou da leitura, não esqueça de recomendar o Literatura-Vivência no Google [+1]

10 comentários:

  1. João Gomes de Jesus15 de fevereiro de 2012 09:20

    Kahlmeyer, é realmente admirável o trabalho que vc vem fazendo pela literatura e cultura de nossa cidade (Niterói) e estado (RJ). Rememorar os passados, colaborar com a vigência dos presentes e preparar o caminho para os futuros autores (e, o que é melhor, de maneira altruística) é algo que devemos louvar sempre,repito: devemos louvar sempre.

    Fico feliz que o fruto desse esforço esteja sendo já colhido, sempre que ouço falar em seu nome e no nome do blog nas pequenas rodas de Niterói, as referências são elogiosas. Dizem sempre: o Kahlmeyer está subindo...

    Suba sempre meu bom amigo e eterno professor, benza Deus!

    Abraços do João Gomes

    ResponderExcluir
  2. Marcio Oliveira Santos15 de fevereiro de 2012 09:23

    É excelente a poesia do Mauro Nunes, ele já tem livros publicados? Se não tem, deveria pensar no caso.

    Parabéns poeta!

    Marcio Santos

    ResponderExcluir
  3. Boas poesias!

    Roberto, que filme é este que vc colocou o trailer como clip? Bonito!...

    Lucas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado Lucas,

      A música é trilha sonora de um filme belo e doloridíssimo que chama originalmente: “Never let me go” (no Brasil ele foi creditado como: “Não me abandone jamais”). Por incrível que pareça, é um filme de ficção científica baseado na novela de Kazuo Ishiguro e que fala sobre a condição humana em seus diversos aspectos (educação, amor, morte...). Trama interessante que parte de uma possibilidade possível levantada pelo filosofo alemão Peter Sloterdijk em seu texto “Regras para o parque humano”.

      Obrigado por participar do “Literatura-Vivência”.

      Excluir
  4. Caro professor Roberto, sua generosidade me proporcionou um momento de alegria singular (vi emocionado) ao ver neste espaço de grandes nomes e expressões da nossa literatura, dois de meus poemas. Grato mais uma vez por saber sobretudo do seu compromisso com a literatura brasileira, seja com os já consagrados, seja com os que se iniciam na mais bela aventura das letras: a poesia. Simplesmente... Muito obrigado.
    Um abraço fraterno...
    Mauro Nunes

    ResponderExcluir
  5. Parabéns ! Adorei os poemas do Mauro.
    Abraços
    Belvedere

    ResponderExcluir
  6. Poesias refinadas!

    A primeira me lembrou o espírito dos poemas de Paul Claudel!

    ResponderExcluir
  7. Kahlmeyer,
    O blog eh phoda!

    ResponderExcluir
  8. Este vai e vem do entrelaçar de carisma e razão desemboca numa suave explosão de sucesso e luminosidade em sua belíssima poesia, Mauro Nunes! Agradeço a poiésis de sua convivência amiga e fraterna, uma eterna criação de riqueza cotidiana! Parabéns,irmão no pastoreio e nas letras, por estes doces frutos, alimento puro e consistente para nossa dialética senda existencial! Parabéns ao Prof. Roberto Kahlmeyer-Mertens pelo seu excelente blog, pluridimensional e multicultural,propiciador também de tão férteis momentos e talentos, escultores do espírito. Agradeço pelo envio dos e-mails e aproveito para manifestar minha admiração por sua pessoa,na alegria e honra de tê-lo como confrade na Academia Friburguense de Letras.


    Pe.Luiz Cláudio Azevedo de Mendonça

    ResponderExcluir