terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Centésima postagem de "Literatura-Vivência"/ Primeira chamada para o "Prêmio Intelectual do Ano".


O blog Literatura-Vivência completa hoje sua centésima postagem. A data de comemoração é, também, ocasião para reforço dos votos que nos compromete sinceramente com a cultura brasileira (com ênfase na fluminense). Como é dito em nosso editorial, buscamos ser plataforma para lançamento de novos talentos, polo de consolidação daqueles que já estão na estrada há algum tempo e museu de valores do passado que, por ventura, sofram com a falta de memória de alguns.
Conjugando a literatura, as artes plásticas e a filosofia, Literatura-Vivência tenta apoiar e dinamizar a vida acadêmico-literária em nosso país e estado, apoiando incondicionalmente este segmento de nossa cultura.
Aproveitamos o ensejo para agradecer a todos os frequentadores do blog, sejam eles seguidores ou críticos, interlocutores manifestos ou tácitos; também aqueles que nos dão o crédito de escrever e de reforçar as muitas parcerias sem as quais não teríamos chegado à centésima atualização deste empreendimento, com os seguintes números:


Total de postagens até então: 100.
Total de seguidores cadastrados até então: 53. (sejam bem vindos os próximos 530)
Total de acessos até então: 35634.
Média de acesso mensal: 6724.
Média de acesso diária: 230.
Média de comentário em postagens por páginas: 17.

Literatura-Vivência segue, doravante, aos próximos 100 posts com o fôlego renovado por esta postagem comemorativa. Uma postagem centenária como esta, entretanto, não poderia ser vazia de conteúdo. Reservamos para ela a notificação da data da festa da cultura mais importante em Niterói:




Entrega do Prêmio Intelectual do Ano 2011

Anualmente o Grupo Monaco de Cultura, apoiado pelas demais instituições literárias de Niterói, oferece o Prêmio Intelectual do Ano. O galardão geralmente agracia uma personalidade que, ao longo do ano, tenha se destacado por suas contribuições à comunidade literária, fomentando a cultura na cidade de Niterói. Do intelectual do ano espera-se que tenha formação excelente e que suas competências específicas sejam postas a serviço da produção e difusão da cultura de nossa cidade, seja promovendo eventos, dando palestras e conferências, ou organizando e escrevendo livros de interesse da comunidade. Em suma, o intelectual do ano é aquele que por sua inteligência, cultura agregada, brilho e carisma (livre, portanto, de qualquer política favoritista) é reconhecido – unanimemente – como representante da continuação do movimento literário.
O Prêmio Intelectual do Ano vem sendo entregue deste 1987, entre os muitos premiados estão: a colunista social Lou Pacheco, o seresteiro Almanir Grego, o médico Carlos Tortelly da Costa, o procurador público Edmo Rodrigues Lutterbach, a poetisa Maria da Conceição Pires de Melo (Manita), o trovador Milton Nunes Loureiro, o livreiro Carlos Silvestre Monaco e a poetisa e declamadora Neide Barros Rêgo entre outras personagens de nossa cidade.
O premiado do ano de 2011 foi o médico e ex-prefeito de Niterói Waldenir de Bragança (confiram o convite do evento de entrega do Prêmio):





A partir de hoje até a data da entrega do Intelectual do Ano, o blog Literatura-Vivência fará postagens diárias nas quais o tema do intelectual será abordado. São escritos de autores autorizados que problematizam o estatuto e a identidade do intelectual em nossa sociedade. Os textos, a serem postados até o dia 9 de dezembro (véspera do evento), buscam provocar a reflexão sobre o perfil desta figura tão questionada. A interação (debate) com os leitores do Blog será bem recebida.





 
Divulgação Cultural
(Clique na imagem para ampliar)
 


40 comentários:

  1. Muito obrigado pelo seu devido convite, felicito a vossa maestria na docência com a qual tens o valor sublime de todo o mestre docente. Abraços e feliz natal e que tenhas um ano novo cheio de paz, saúde e prosperidade. É o que te desejo.
    Ass: Dórian.

    ResponderExcluir
  2. Emmanuel de Macedo Soares6 de dezembro de 2011 20:25

    A ideia desse título de "Intelectual do Ano" podia parecer boa, quando começou, mas logo descambou para o ridículo culto das vaidades, perdendo de vez o pouco que podia ter de significativo. E quando a vaidade entra na história nada sobrevive, porque maior que a vaidade de uns só existe a vaidade de outros. Dá nisso: contestações mais ou menos irritadas, ironias mais ou menos irreverentes, enfim, a homenagem que se transforma de prêmio em execração para quem a recebe. Por essas e outras, e antes que a “láurea”, ou que nome tenha, venha a ser atirada na lama, como aconteceu com a Medalha Machado de Assis da Academia Brasileira de Letras, minha sugestão é acabar com essa joça. Vamos criar em seu lugar o título de “Intelectual do Século”, concedê-lo ao Luís Antônio Pimentel, e pronto. C’est fini, happy end, dá-se fim à pantomima.

    ResponderExcluir
  3. Waldenir de Bragança intelectual do ano! Quaquaráquaquá!!! Conta agora aquela do papagaio.
    Intelectual porqueira!

    ResponderExcluir
  4. Literatura-Vivência garante a livre expressão de comentários dos frequentadores do Blog, mas não necessariamente endossa as opiniões aqui veiculadas, sendo elas de inteira responsabilidade de seus propositores

    ResponderExcluir
  5. Gilson Rangel Rolim6 de dezembro de 2011 20:54

    Roberto,
    parabéns pelo centenário de seu blog e pela divulgação cultural, sobretudo fluminense. É meritório seu trabalho. Aplausos.
    Quanto ao "Mora na filosofia", de Monsueto e Arnaldos Passos, prefiro as gravações originais, com destaque para a de Marlene.
    Abç.
    Gilson

    ResponderExcluir
  6. Realmente, quem faz a indicação do prêmio intelectual do ano tem "errado a mão" últimamente...

    (ñão vou me declarar para não perder o amigo)

    ResponderExcluir
  7. Kahlmeyer,

    pelo comheço do indicado deste ano, ele nem de longe atende ao perfil que o prêmio visa.
    Como se explica isso?
    O que é um intelectual para as instituições que oferecem o prêmio?

    Sônia Lobo

    ResponderExcluir
  8. Não tomarei parte nesta discussão, muito mais vantajoso é curtir o arranjo jazzístico que fizeram para a música de Monsueto!

    Esta tal de Monica Salmaso é uma diva!

    Rocco

    ResponderExcluir
  9. Renato Augusto Farias de Carvalho6 de dezembro de 2011 21:13

    Caro Roberto: sua vocação, literária, para sorte de todos nós, é abrangente em todos os sentidos. Graças a Deus, a sua jovialidade, entusiasmo e talento vão propiciar-nos outros centenários dessa tela informativa e neutra, que é o se blog. Parabéns, sempre amigo Renato Carvalho

    ResponderExcluir
  10. Literatura-Vivência garante a livre expressão de comentários dos frequentadores do Blog, mas não necessariamente endossa as opiniões aqui veiculadas, sendo elas de inteira responsabilidade de seus propositores.

    ResponderExcluir
  11. Waldenir de Bragança é un grande homem, mereci tudo nosso respeito.

    Pastor Moxé

    ResponderExcluir
  12. Confira minha preleção no Utubi:

    http://www.youtube.com/watch?v=6GNP0PzlY2U&feature=related

    ResponderExcluir
  13. Um presente e tanto ao amigo Dr. Waldenir.
    O Grupo Monaco está de parabéns por ter dado o prêmio de intelectual a ele. afinal ele é um grande médico e, em 1986, foi prefeito.

    Também o Blog ao oferecer quase uma semana de reportagens ao nosso "Intelectual do Ano" está de parabéns,pois isto seria uma grande distinção, merece nosso aplauso.

    ResponderExcluir
  14. De fato, será uma grande homenagem ao Dr Waldenir! Tomara que ele veja as postagens em seu Blog, Roberto (nenhum outro intelectual do ano teve isso).

    Aurélio Nóbrega

    ResponderExcluir
  15. O Emmanuel, lá em cima, tem toda razão.
    Tomara que este prêmio acabe logo.
    Tenho pena de quem receber o prêmio em 2012.
    O prêmio está "queimado" depois desta má safra.
    Terá que ser gente muito forte para levantar o moral da "honraria".

    ResponderExcluir
  16. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  17. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  18. O mediador do Literatura-Vivência adverte que inibirá a opção de postagens anônimas caso o espaço de comentários continuar a ser mal usado com a veiculação de ofensas e palavrões.

    ResponderExcluir
  19. Emmanuel de Macedo Soares6 de dezembro de 2011 23:07

    Tá confirmado (que pena para cultura!) o que acabei de dizer. Execração, ridículo e constrangimento, em vez de homenagem. Eu se fosse o Waldenir renunciava a esse treco e dava um fim honroso a essa história. E vamos todos aclamar como Intelectual do Século o essencial e indispensável Pimentel.

    ResponderExcluir
  20. Aderaldo Figueiredo6 de dezembro de 2011 23:14

    Pô gente, eu nem sei quem é este tal de Waldemar mas vamos respeitar o blog.

    O lugar é de gente civilizada. Nada a ver insultar os outros. No tempo em que xinga, podia entabular um debate inteligente.

    Aderaldo Figueiredo

    ResponderExcluir
  21. Não é interessante como as coisas mudam de figura quando saem da província e ganham o mundo pela via da internet?
    Isto dá uma tese de sociologia!!!

    Matheus Simão

    ResponderExcluir
  22. Qual seria o porquê da execração pública?

    ResponderExcluir
  23. Carlos Rosa Moreira7 de dezembro de 2011 00:07

    Roberto
    Parabéns pela etapa vencedora. Você tem conduzido o "Literatura Vivência" com sabedoria e elegância. É um grande prazer e motivo de orgulho ser um dos participantes e seguidores do blog. Quanto ao fato do prêmio "Intelectual do Ano" provocar críticas, podemos encarar como normal; positivas e negativas, críticas são naturais. Tão naturais quanto as opiniões diversas que você, de maneira democrática e inteligente, torna públicas no blog. Há vários intelectuais fazendo coisas muito signficativas e produtivas para Niterói. São pessoas brilhantes que lidam com ramos diversos, entre eles a arte, a Literatura inclusive, mas que não fazem parte dos círculos tradicionais da cidade. Contudo aqui vivem e trabalham. É preciso que seus nomes sejam lembrados na escolha do importante e já tradicional prêmio "Intelectual do Ano". Tais nomes não só seriam agraciados, mas também trariam brilhantismo ao prêmio.
    Um grande abraço, parabéns ao Dr. Waldenir, e a você por esta festa do blog.
    Carlos Rosa Moreira.

    ResponderExcluir
  24. Até que enfim, alguém lembrou de cumprimentar o blog por seus 100 posts!
    Eu faço coro com o Carlos: tomara que tenhamos muitas outras centenas de postagens! Tomara que o Literatura-vivência continue inseminando nossas inteligências com cultura da boa por décadas!

    Obrigado, Roberto.

    Não comentarei nada sobre a “feliz” escolha do Intelectual da o Ano.

    ResponderExcluir
  25. Capitão Nascimento7 de dezembro de 2011 00:25

    Rsrsrsr, Waldenir de Bragança intelectual!

    Sabe o que o Capitão Nascimento daquele filme "Tropa de Elite" diria disso?: "- Nunca será!"

    Recomento o filme

    ResponderExcluir
  26. Alanir Baptista dos Santos7 de dezembro de 2011 00:29

    Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  27. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  28. Gostei do vídeo de anúncio do Intelectual do ano.

    Que festa foi aquela?

    O prêmio tem valor, gente!

    Sara

    ResponderExcluir
  29. Não posso dizer nada, pois, afinal, eu era pequena na época, mas meu pai diz que o intelectual do ano nem bom prefeito foi!

    Nanda

    ResponderExcluir
  30. Literatura-Vivência garante a livre expressão de comentários dos frequentadores do Blog, mas não necessariamente endossa as opiniões aqui veiculadas, sendo elas de inteira responsabilidade de seus propositores

    ResponderExcluir
  31. Emmanuel de Macedo Soares7 de dezembro de 2011 00:48

    A Sônia Lobo já fez duas perguntas aqui, e ambas muito pertinentes. Como ninguém respondeu, vou eu tentar ver se talvez consiga quem sabe pode ser, assassinar a curiosidade dela. A primeira foi: quem escolhe o Intelectual do Ano? E a segunda: por que a execração? Quem escolhe, é um mistério que as santas escrituras não ajudam a decifrar. Dizem que é o Grupo Mônaco, de parceria (no caso cumplicidade) com as academias e entidades culturais. Mas eu, que pertenço às academias Fluminense e Niteroiense, e frequento a livraria desde o tempo em que o Silvestre e o Emílio serviam um vermutezinho nas manhãs de sábado, nunca fui avisado dessas “eleições”. Parece conciliábulo de compadres, e disso não entendo absolutamente nada. Da própria leitura do blog, deduzo que a execração tem duas origens. Uma, o fato do doutor Waldenir ser ou ter sido político, e política é igual a Flamengo ou Fluminense, Marlene e Emilinha, J. Cristo e Satanás: tem os que gostam e os que não gostam. Até aí nada demais, porque tivemos grandes intelectuais que também foram políticos, de Coelho Neto a Olegário Mariano e Menotti Del Picchia, passando por outros menores, ou, se preferirem, bem menores. Outra razão, penso eu, vem do fato do homenageado não se enquadrar com muita sincronia no que seria o perfil de um intelectual, e menos ainda intelectual do ano. De fato, não me lembro de nenhum acontecimento cultural que o doutor Waldenir tenha protagonizado para justificar a homenagem de que foi alvo e agora é vítima. Cabia a ele, ao seu bom senso, avaliar o próprio merecimento e decidir se recebia ou não o título. Já que não foi assim, vamos lá abraçá-lo pela outorga do Nobel do Calçadão, torcendo para que seja servido um magnífico coquetel depois da discursaria inevitável.

    ResponderExcluir
  32. Mesmo assim as escolhas são bem feitas, haja visto os legítimos intelectuais que já ganharam o prêmio.

    ResponderExcluir
  33. Literatura-Vivência garante a livre expressão de comentários dos frequentadores do Blog, mas não necessariamente endossa as opiniões aqui veiculadas, sendo elas de inteira responsabilidade de seus propositores

    ResponderExcluir
  34. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  35. Caro Kalhmeyer,

    Parabéns pelas 100 postagens. Sucesso com o Blog.
    Vou esparar as postagens sobre os intelectuais, o tema me interessa muito.

    Marthinha

    ResponderExcluir
  36. Roberto,

    Eu gostei mais da postagem anterior, a do Niskier...

    Abraços,
    Laurinha

    ResponderExcluir
  37. Pedro Afonso Vasquez7 de dezembro de 2011 09:57

    Caro Kalhmeyer-Mertens,
    Parabéns pela centésima postagem. Trata-se de uma marca invejável em termos de disciplina, valorizada pelo fato de que o seu blog tem contribuído em muito para movimentar e debater a cultura fluminense.
    Faço votos que você mantenha o fôlego e o entusiasmo por muitos anos ainda.
    Cordialmente,

    ResponderExcluir
  38. Não vejo mérito em ser Intelectual do Ano. Há algum tempo a premiação perdeu o senso crítico.
    Que outros grupos idealizem algo mais sólido e sincero. Que não seja uma ação entre amigos como tem sido.
    Sylvianne Mattos

    ResponderExcluir
  39. Roberto, parabéns pelo seu trabalho. Vc é um cara ligadão!
    Abs
    Belvedere

    ResponderExcluir
  40. Mauro Sérgio Souza Nunes18 de dezembro de 2011 01:02

    Olá prof. Roberto Kalhmeyer, recebi hoje de um amigo o endereço deste blog. Quero parabenizá-lo pela iniciativa. Importa mesmo trazer à luz a arte viva na vida das pessoas... gosto e aprecio a integração literária pois renova o espírito. Irei visitar este blog com mais frequência.
    Um abraço.
    Mauro Nunes
    Macaé

    ResponderExcluir